29 de março de 2017

O Trabalho do MCP com as Sementes Crioulas

Oficina de melhoramento e seleção participativos com guardiões de sementes crioulas

 

O Movimento Camponês Popular – MCP, desde seu surgimento coloca a defesa das Sementes Crioulas como um de seus princípios, pois
é impossível lutar por Soberania Alimentar, Autonomia Camponesa sem lutar pelas Sementes como um bem da biodiversidade, que devem pertencer e estar sobre o cuidado das famílias camponesas.

Discutir o resgate e a multiplicação das sementes crioulas é, portanto, falar da preocupação e da responsabilidade que o campesinato tem em garantir a produção de alimentos limpos e diversificados para a sua auto sustentação e para abastecer a mesa das famílias brasileiras.

As sementes crioulas, desde 1960, estão em perigo! Neste período chegou ao Brasil, vinda dos Estados Unidos, a chamada Revolução Verde, que nada mais foi que implantar um modelo contrário às experiências, à cultura e valores construídos por homens e mulheres ao longo de 10 mil anos.

As famílias camponesas vêm constantemente sendo ameaçadas pelo capital no campo, representado pelo agronegócio e é um modelo da morte! Este modelo expulsa os camponeses, envenena a terra, as águas e ameaça toda a biodiversidade.

As famílias camponesas sem as sementes crioulas são como não ter terra e água, esses três bens naturais fazem parte de um conjunto vital tanto para a sua permanência no campo, quanto para a garantia da Soberania Alimentar e da autonomia camponesa.

As sementes são fundamentais para a continuidade da vida da humanidade, e os camponeses e camponesas devem ser guardiões e guardiãs desse bem natural responsável pela vida.

Quando lutamos pelas Sementes Crioulas estamos afirmando a nossa responsabilidade em Defender, Resgatar, Multiplicar, Valorizar uma parte de nós mesmos!

Representantes de 7 países conhecem experiência do trabalho com sementes crioulas do MCP.

O QUE SÃO SEMENTES CRIOULAS? POR QUE DEVEMOS PRODUZI-LAS?

Sementes crioulas são aquelas sementes cultivadas há vários anos, e em decorrência do tempo não sofreram mudanças genéticas pelo ser humano. As mudanças ocorridas são para melhorar os cultivares. No caso do milho, em algumas regiões são chamados de milho de paiol, sementes da paixão… Enfim, em cada lugar tem suas definições de acordo com a realidade. No entanto, todas são sementes que não sofreram mudança genética.

Entendemos que essas sementes em um processo de produção e reprodução, de melhoramento, no ano seguinte melhora seu potencial de produtividade. Produzir sementes crioulas é um processo de cultivo, pois a cada ano é plantada e no ano seguinte ela continua tendo seu potencial de produtividade, ou seja, a cada ano, se a semente está bem cuidada, ela aumentará ainda mais a produção. Dessa forma, garante que a família camponesa tenha autonomia, renda e alimentação limpa e também diversidade na produção.

Todas as camponesas e camponeses têm o direito de não ficarem presos ao mercado comprando pacotes, tais como agrotóxicos e/ou sementes transgênicas!

 

PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS – PAA SEMENTES

É um programa que foi pautado pelos movimentos sociais, inclusive o MCP. Foi criado para fortalecer e melhorar a renda das famílias e garantir o acesso às sementes para cultivar. Consideramos hoje um dos melhores programas de governo para garantir a sustentabilidade das famílias camponesas.

O MCP tem pautado o fortalecimento e melhoria do programa e alguns avanços já foram conquistados com luta e organização das famílias. Os valores na safra passada eram de 6.500,00 mil reais por família para comercializar; neste ano aumentou para 16.000 mil reais. Mesmo com estas vitórias, sabemos que ainda tem que melhorar muito.

COMO PRODUZIR VARIEDADES CRIOULAS?

O MCP vem fortalecendo o trabalho com as sementes, mudas, tubérculos e raças crioulas. Desde que começou a desenvolver ações voltadas para o resgate, cultivo e multiplicação das sementes, já foram comercializados mais de 800 mil quilos de sementes crioulas junto ao Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e CONAB. Somente na safra passada foram produzidos 270 mil quilos de sementes e distribuídas para outras famílias camponesas plantarem e terem suas próprias sementes.

 

Resgate: primeiramente é importante resgatar as variedades locais. Mas onde resgato essas sementes? Nas casas das famílias, nos encontros, reuniões que são feitas mensalmente, nos seminários regionais, estaduais, nacionais e internacionais. Ou seja, onde for levar sementes para exposição com todas as informações sobre a cultura.

Porém, para aquelas sementes de polinização aberta, como é caso do milho, nunca levar poucas sementes, no mínimo um quilo. Em sequência fazer multiplicação das variedades resgatada.

 

Cuidados para produção de sementes crioulas

1°. Escolha da área de plantio e preparação do solo: algumas espécies crioulas, exemplo o milho, tem o cruzamento aberto, ou seja, o pólen de uma planta poliniza a outra. Neste caso, não podemos plantar duas variedades diferentes de milho na mesma área, devemos ter o cuidado de plantar duas ou mais variedades diferentes de milho com um espaço mínimo de 35 dias de um plantio para outro, ou 400 metros de distância. No caso do feijão e arroz a polinização é fechada, as próprias plantas se autofecundam.

O preparo do solo também é fundamental para que as sementes tenham condições de expressar seu potencial produtivo.

2º. Escolha da semente: adquirir sementes não contaminadas, selecionadas e com boa germinação. Essas sementes são encontradas com os guardiões e nos bancos de sementes do MCP.

3º. Tratos culturais: quando falamos de sementes crioulas isso não significa que não precisamos ter os cuidados necessários como: correção e recuperação do solo, limpar nossas lavouras na época certa, observar plantas doentes, etc… Esses cuidados nos garantem uma boa produção.

4º. Colheita e seleção maçal: a colheita é outro fator importante para produção de sementes crioulas com qualidade. Deve – se observar o teor de umidade antes de realizar a colheita, pois ela determinara a conservação das sementes, umidade ideal 12.  A seleção maçal deve ser feita antes da colheita da lavoura, escolher as melhores plantas da lavoura observando alguns fatores como altura da planta, resistência das raízes a vento, competição, melhores espigas (sempre colher as espigas de mesma altura entre outras variáveis), as sementes desta seleção devem ser guardadas e ser plantadas na próxima safra e cada ano que fizermos a seleção maçal teremos melhores sementes.

5º. Armazenamento: não adianta seguirmos todos os passos anteriores e não preocupar com o armazenamento das sementes. Alguns cuidados no armazenamento: embalagens apropriadas, não deixar em contato com paredes ou pisos, não molhar nem deixar exposto ao sol, armazenar em local escuro e proteger ao ataque de carunchos.

Lembre-se: esses passos, aliados a outras experiências desenvolvidas pelos camponeses/as nos possibilitará sementes de alta qualidade e produção.

 

 OS ENSAIOS DE COMPETIÇÃO E SUA FINALIDADE

Os ensaios de competição são importantes para avaliar o comportamento de cada variedade que melhor adapta com as mesmas condições climáticas, fertilidade de solos em determinada região de forma que nenhum bloco seja beneficiado.

São diversas variedades de uma mesma espécie que são plantadas em pequenos blocos, na qual analisamos: produtividade, doença, plantas acamadas, altura espiga, altura da planta, entre outras observações.

Os ensaios são realizados junto com as famílias camponesas que são as próprias pesquisadoras e irão dizer qual melhor variedade para a sua comunidade.

 

POR AUTONOMIA CAMPONESA, SOBERANIA ALIMENTAR E PODER POPULAR!

Próximos Eventos + ver tudo

19 de abril de 2017

Inauguração moradia camponesa – Crixás, Goiás

Faz. Quebra-Coco, casa da família da Cacilda e do Amado
Crixás - GO
a partir das 14 h

+ saiba mais

16 de abril de 2017

Sarau, Ciranda e Café

Groove Garden
Catalão - GO
15:00

+ saiba mais

16 de abril de 2017

Inauguração moradias camponesas – Goiás

Casa da família da Marli e Omilton
Faina - GO
14:30

+ saiba mais

29 de março de 2017

IV Jornada Universitária em Apoio à Reforma Agrária

Auditório da Fac. de História / UFG e Auditório do IESA / UFG.
Goiânia - GO
8h às 19h

+ saiba mais