22 de novembro de 2017

Tem início o VIII Seminário Nacional de Agrobiodiversidade e Sementes Crioulas, em Aracaju/SE

Entidades debatem a importância do fortalecimento da agricultura camponesa e da alimentação saudável na abertura do VIII Seminário Nacional de Agrobiodiversidade e Sementes Crioulas. Compareceram à abertura do VIII Seminário XX entidades, entre organizações populares, sindicais, articulações em rede, mandatos, representações de prefeituras e órgãos públicos.

As lideranças reforçaram o papel do MCP no trabalho de resgate e multiplicação das sementes crioulas. Para o Secretário de Agricultura do Estado do Sergipe, Esmeraldo Leal, a própria realização do seminário é um grande ato de resistência, frente à propaganda cotidiana do pacote tecnológico vendido pelas grandes empresas. Fábio Andrei, da coordenação do MST, relatou que a vinda do MCP para Sergipe possibilitou um salto de qualidade no debate sobre a produção camponesa e agroecológica no Estado: “não é à toa que o melhor cuscuz de Sergipe, talvez do Brasil, seja produzido dos camponeses através das sementes crioulas do MCP”. Para o Deputado Federal João Daniel, as sementes são patrimônio da humanidade, e Sergipe já possui importantes legislações sobre o assunto, como a Lei das Sementes Crioulas e a Lei dos Sistemas Agroecológicos de Produção. E desafiou, “o MCP tem que estar organizado em todo o nordeste, onde está presente mais da metade do campesinato brasileiro”.

Apesar dos avanços, muitos desafios puderam ser mencionados pela mesa, em especial no cenário conjuntural de golpe e retrocessos em que vivemos. Um cenário de desmonte das políticas públicas, onde a democracia foi solapada e a soberania nacional tem sido diretamente afetada. Projetos em tramitação foram lembrados, como a retirada do rótulo dos transgênicos, a mudança de nomenclatura dos agrotóxicos e a reforma da previdência. Para superação deste cenário, a mesa apontou para a combinação de mobilizações populares com a realização de eleições diretas, com retomada da democracia.

Neste sentido, o dirigente da CUT-SE, Plínio Pugliesi destacou a aliança entre trabalhadoras e trabalhadores do campo e da cidade, expressa na parceria entre o MCP e a CUT, no processo de mobilizações desde o golpe. Herick Argôlo, pela Frente Brasil Popular, pontuou: “o MCP sempre se colocou, através da Frente Brasil Popular, nas lutas contra o golpe, as reformas e o congelamento do orçamento; é fundamental este entendimento que o Movimento tem das lutas mais gerais em prol de toda a classe trabalhadora”. Reforçando o papel do MCP na capilarização das lutas promovidas pela FBP.

Estiveram representadas na mesa, as organizações MST, MOTU, Consulta Popular, Levante Popular da Juventude, MMS, Rede Sergipana de Agroecologia, ASA, CUT, Observatório de Segurança Alimentar e Nutricional de Sergipe, CEBES, Cáritas, Frente Brasil Popular, MTC, MMTR, MOPS; os órgãos CONAB, SEAGRI, EMDAGRO; as prefeituras de Lagarto e Poço Verde; o Instituto Federal Sergipano; e os mandatos parlamentares de Ana Lúcia e João Daniel.

O Seminário Nacional de Agrobiodiversidade e Sementes Crioulas é uma iniciativa do MCP, que já se encontra em sua 8a edição anual. Ocorrendo pela primeira vez no nordeste, com objetivo de trocar experiências e potencializar a organização dos camponeses e camponesas e a produção de alimentos saudáveis nesta região.

Próximos Eventos + ver tudo

21 de novembro de 2017

8º Seminário Nacional da Agrobiodiversidade e Sementes Crioulas

Seminário Propedêutico Sagrado Coração de Jesus (Seminário Menor)
Aracaju - SE
8h às 20h

+ saiba mais

28 de julho de 2017

Inauguração Moradia Camponesa, em Silvania (GO)

Comunidade João de Deus
Silvania - GO
17:00

+ saiba mais

01 de junho de 2017

Inauguração de Moradias: Guarani de Goiás

Comunidade São Pedro - Casa de Dona Mª Aparecida.
Guarani de Goiás - GO
10:00

+ saiba mais

19 de Abril de 2017

Inauguração moradia camponesa – Crixás, Goiás

Faz. Quebra-Coco, casa da família da Cacilda e do Amado
Crixás - GO
a partir das 14 h

+ saiba mais